Saúde emocional dos profissionais é tema de live no Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional

Saúde emocional dos profissionais é tema de live no Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional
14/10/2020

Para marcar o Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional neste ano atípico que está sendo 2020, o Crefito5 promoveu uma live com o tema “Quando o emocional invade o corpo: como entender e lidar”, com o psiquiatra e psicoterapeuta Nelio Tombini. 

Com a pandemia, os profissionais da saúde tiveram sua rotina de trabalho sobrecarregada com os atendimentos dos pacientes acometidos pela COVID-19. Os fisioterapeutas e os terapeutas ocupacionais são profissionais que atuam muito próximos dos pacientes e acompanham de perto o sofrimento, a dor e as perdas. 

“Precisamos ter muita atenção para com a saúde da população, mas também é preciso olhar para a nossa saúde enquanto profissionais. Cuidamos dos outros, mas precisamos aprender a cuidar de nós”, ressaltou o presidente do Crefito5, Jadir Camargo Lemos.

Não é raro que um profissional da saúde se encontre em situações onde acabam por absorver o sofrimento do paciente sem conseguir separar o que é seu e o que não é. Para ajudar a entender e a lidar com essas situações, Nélio Tombini falou sobre a importância de estar atento ao paciente como um todo. “É importante saber o que se passa na vida dessa pessoa, quais são os seus pensamentos e emoções porque muitas vezes as dores físicas podem ter causas emocionais. Só conhecendo o seu paciente e conversando com ele você vai conseguir identificar isso e encaminhá-lo para outro profissional”. 

Tombini aconselha ainda que os profissionais busquem sempre o caminho do diálogo verdadeiro e claro quando tiverem algum problema no trabalho, seja com colegas ou pacientes. “É importante falar quando nos sentimos incomodados com alguma situação. A palavra dita com clareza é fundamental para buscar a solução dos problemas”, apontou. 

Outro ponto levantado foi a saúde mental dos profissionais que estão trabalhando diretamente no enfrentamento da pandemia. “É normal que esses profissionais fiquem ansiosos, percam o sono, tenham medo de adoecer e acabem se fragilizando. Por isso é importante que fiquem atentos a esses sinais, procurem apoio e, se preciso, façam uma avaliação com um psicólogo ou psiquiatra. É importante saber pedir ajuda”, alertou o psiquiatra.

Para assistir a live na íntegra, clique aqui.