Os desafios do Home Schooling

Os desafios do Home Schooling
25/06/2020

Um dos setores mais afetados pela pandemia do novo Coronavírus é o da educação. No país inteiro as aulas presenciais estão suspensas e não parece haver ainda condições sanitárias agora ou num futuro próximo para acontecer essa retomada. 

Segundo dados do Censo Escolar, em 2018 havia 48 milhões de alunos matriculados na educação básica brasileira (etapa da educação que vai do ensino infantil ao médio); esta que é considerada parte fundamental não apenas da formação escolar do cidadão, como também da profissional, agora é obrigada a enfrentar as dificuldades do ensino a distância. 

A terapeuta ocupacional Cheila Schroer ressalta que esta mudança pode desencadear inseguranças nos alunos: “As crianças têm medo de não se sentirem competentes para dar conta do que o computador está trazendo pra elas enquanto aula. Esse medo é natural e precisa ser acolhido. É importante que tu digas que pra criança que tu entende a insegurança, mas que ela vai conseguir, porque a professora não mandaria algo além da capacidade dela”.

Por mais que o ambiente virtual já seja familiar para grande parte dos nossos jovens, pesquisas indicam que o acesso à internet tem se democratizado nos últimos anos, a interação escolar tem se mostrado diferente do uso recreativo, o que por vezes os pais podem não compreender. “Não dá pra gente comparar, uma coisa é tu estar jogando, tendo optado por fazer aquilo. Outra coisa é precisar ficar diante da tela tendo aula quatro, seis horas por dia. É uma maneira diferente de se vincular ao eletrônico, temos que compreender isso nesse momento”, finaliza Cheila. 

Se interessou pelo assunto e quer saber mais sobre home schooling e Terapia Ocupacional? Então clica aqui e confere a live com a terapeuta ocupacional Cheila Schroer que o Crefito5 produziu pra ti!